O2
Uma ‘caça’ aos tesouros escondidos nas Termas do Centro
João Sousa

Atenção apaixonados pelo geocaching: já há 12 geocaches escondidas para explorar na envolvente das termas da região Centro

25 Março, 2021

Uma ‘caça’ aos tesouros escondidos nas Termas do Centro

Para quem está a ler e não sabe ao certo o que é o geocaching, não há motivos para desistir da leitura. Trata-se de uma atividade recreativa ao ar livre, feita em família ou isoladamente, que consiste em procurar e encontrar objetos georreferenciados, denominados de geocache. 

Os praticantes começam a atividade por verificar as indicações de cada local neste endereço e depois, utilizando um dispositivo com recetor de GPS, que até pode mesmo ser o telemóvel pessoal, podem aceder aos geocaches. No final, registam e partilham as experiências com a comunidade e nas redes sociais. É uma verdadeira ‘caça ao tesouro’ que “faz bem à saúde, combate o sedentarismo, promove o bem-estar e potencia o sentido social dos participantes”, sublinha Adriano Barreto Ramos, coordenador da rede Termas Centro, a propósito desta primeira fase da instalação de um conjunto de geocaches no território. 

12 motivos extra para explorar a envolvente das termas do Centro

Até ao momento, já foram instaladas 12 geocaches em cinco das vinte estâncias que compõem a rede das Termas Centro: Alcafache, Carvalhal, Felgueira, Sangemil e São Pedro do Sul, todas no distrito de Viseu. Seguem-se os distritos de Aveiro, Coimbra e Leiria, em locais como as Termas do Luso, Termas das Caldas da Rainha e Termas da Piedade (Alcobaça), entre outros. 

Foram escondidas por uma equipa do Centro de Estudos de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Coimbra, que fez o levantamento prévio da oferta de geocaching no território, a que se seguiram ações de trabalho de campo, para reconhecimento e georreferenciação dos pontos de interesse, escolhidos pela sua importância histórica e cultural. 

Pretende-se que a rede de geocaching Termas Centro venha a disponibilizar cerca de 50 geocaches para os aficionados e também novos aventureiros, com vista a “estimular a vinda de novas pessoas às estâncias termais da região, a partir do momento em que seja possível circular em segurança”, adianta Adriano Barreto Ramos. 

Se gostas de exercício físico e da envolvente da natureza, recomendamos vivamente que juntes um ou dois amigos e, praticando as medidas de segurança impostas pela Direção-Geral de Saúde, experimentes estes novos geocaches, explorando o património natural e cultural do nosso território. 

 

© Paulo de Carvalho (Fotografias 2, 3 e 4) 

Veja também

19 Junho, 2021
Quando queremos conhecer (melhor) alguém, começamos por perguntar trivialidades e, dependendo da reciprocidade, avançamos ou não para perguntas mais pessoais. Havendo interesse amoroso, as...
12 Abril, 2021
Comecemos pelo essencial: o que é o orçamento participativo? Trata-se de um mecanismo de democracia participativa que dá aos munícipes o poder de decidirem como devem ser investidas as verbas dos...
O2
18 Março, 2021
  Sob o lema “Restauro Florestal: o caminho para a recuperação e o bem-estar”, e para comemorar o Dia Internacional das Florestas, que se celebra a  21 de março, o Instituto da...